Loading...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Benefícios e Malefícios do SKATE


O skate é um esporte que pode ser considerado uma diversão, mas é também competitivo. Apesar de o skate estar disponível em diversos tipos de desenhos e materiais, todos eles são compostos de prancha, eixo e 4 rodinhas. Os skatistas mais experientes podem se dar ao luxo de fazer truques como giros, rodopios, pulos sobre obstáculos e mover-se para trás e para frente. Todas essas manobras ajudam a queimar mais calorias e melhoram o rendimento físico.

O skate é um excelente exercício aeróbico e ajuda bastante a tonificar alguns músculos, principalmente a panturrilha. Apesar disso, o pessoal que anda de skate gosta do esporte simplesmente pelo prazer. Essa é uma grande vantagem, pois a pessoa vai praticar um esporte e cuidar da saúde, sem esperar um resultado em troca. Diferentemente de atividades como musculação e ginástica, em que a pessoa sempre espera um resultado e uma mudança no corpo.
Para ter um melhor desempenho nas suas sessões de skate, procure suprir as necessidades que seu corpo tem de nutrientes fundamentais. Assim, você poderá aumentar o sistema imunológico, os níveis de energia, a massa muscular, a concentração e reduzir gorduras e maneira saudável.
Nem sempre os alimentos vão conter toda a quantidade de nutrientes que você precisa. Por isso, é importante suprir essas necessidades com a suplementação.
A lista de suplementos, a seguir, indica quais os suplementos ajudarão você a desenvolver o seu melhor desempenho durante as sessões de skate. 

- Benefícios de andar de skate:

  • O benefício estético é o fortalecimento das articulações e a estabilidade dos ligamentos em torno dos joelhos e tornozelos.
  • Aumenta os batimentos cardíacos e pode ser considerado um excelente exercício aeróbico, por causa dos impulsos com um dos pés, para dar velocidade ao skate.
  • Desenvolve uma melhor consciência corporal, flexibilidade, tônus muscular, concentração, segurança e equilíbrio.

- Riscos/cuidados de andar de skate:

  • As proteções para quem anda de skate são fundamentais. Protetor para os joelhos, cotovelos e capacetes são os mais importantes.
  • As fraturas, cortes e feridas são muito comuns. Principalmente nas pernas, braços, joelhos e cotovelos. Torções no punho também são muito comuns.
  • É bom fazer um trabalho de musculação para não colocar em risco a estabilidade articular (joelhos e tornozelos).

- Principais grupamentos musculares utilizados durante a prática de skate:

  • Panturrilhas.
  • Quadríceps.
  • Tendão.
  • Abdômen.
  • Trapézio.
  • Dorsal.

- Dicas para um melhor rendimento físico na prática de skate:

  • Respire bastante antes de dar impulsão no skate com um dos pés. É importante que não falte fôlego nesse momento, pois requer bastante esforço.
  • É importante ter uma boa coordenação, trabalhar para ter bastante velocidade, equilíbrio e noção de colocação do corpo no espaço.

- Materiais/vestimenta/equipamentos para a prática do skate:

  • Joelheiras: protegem os joelhos, em uma eventual queda.
  • Cotoveleiras: importante para proteger os cotovelos, que são muito sensíveis e também ficam bastante expostos no caso de uma queda.
  • Capacete: protege a cabeça de uma eventual queda.
  • Skate: é composto por rodinhas, rolamentos e a prancha. Cada skatista monta seu skate com o material que acha mais adequado.
  • Tênis: tem de ser apropriado para andar de skate, com solado anti-deslizante.

Abdômen

Uma região do corpo muito falada atualmente é abdômen, principalmente no que se diz respeito à estética.
O abdômen é a parte do tronco entre o tórax e a pelve (quadril). É a maior cavidade do corpo humano e faz a sustentação da parede abdominal que contém a maioria dos órgãos, como o estômago, intestino delgado, fígado, vesícula biliar, pâncreas, baço, rins, bexiga, útero, ovários; além da artéria aorta abdominal e da veia cava inferior.

O abdômen tem suas estruturas compostas por paredes musculares (reto abdominal, os oblíquos interno e externo do abdômen e o transverso do abdômen). Apenas a parte posterior é formada por vértebras, de T12 até a última sacral.


Quanto ao skate, a principal importância do abdômen é que ele funciona como o centro gravitacional do corpo, responsável direto pelo equilíbrio e postura corporal.
Quando há flacidez muscular abdominal, os órgãos se projetam frontalmente, modificando o centro de gravidade corporal. Com conseqüente sobrecarga na coluna torácica e lombar, o que pode ocasionar dores nesta região impedindo o skatista de andar, e principalmente alterar o equilíbrio do skatista, dificultando ainda mais a realização de manobras.

CANELITE

 

Canelite é o nome popular da Síndrome de Estresse do Medial Tibial ou Periostite Medial de Tíbia, que é uma inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou dos tendões e musculos da Tibia, podendo se tornar uma fratura por estresse. É comum em atletas que praticam esportes de corrida como atletismo e de saltos como ginastica olimpica e o skate.
A canelite é aquela dor persistente na região da canela do skatista, que permanece durante a sessão e após a mesma, dificultando movimentos com o pé e impossibitando a realização de manobras de flip.
Alguns fatores podem desencadear este problema como a pronação dos pés por um longo período sobre o skate ou durante atividades do dia a dia, o uso de calçados inadequados sem a absorção de impacto adequada ou com essa absorção em local errado como vemos em muitos casos e os fatores genéticos pré disponentes.


Uma dica para evitar ou minimizar este problema é alonguar o local antes de aquecer, e mais uma vez depois do aquecimento antes de iniciar as manobras mais pesadas da sessão.
Caso essa dor apareça procure uma médico para fazer uma melhor avaliação (isso pode ser uma fratura por stress) e use gelo e antiinflamatórios não esteróides no começo da inflamação, então trabalhe a flexibilidade e alongue o local acometido para ganhar maior ADM e e estimular a regeneração tecidual.
Também massageie gentilmente o músculo respeitando sua tolerancia a dor e o uso de Palmilha ortopédica pode auxiliar o tratamento e tambem prevenir que a dor volte no decorrer da sessão.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

Componentes do SKATE


O skate é formado por seis peças, todas fundamentais para um bom funcionamento, são elas:
  1. Shape (prancha superior)
  2. par de truck (eixo)
  3. quatro rodinhas
  4. oito rolamentos (Dois em cada roda)
  5. oito parafusos
  6. uma lixa auto-adesiva
Concave: Curvatura vertical dos lados do shape (faz com que o skate ganhe pressão para executar as manobras. 


Cave: Cuvatura antes do inicio do nose e tail.  

Nose: A parte da frente do shape. Depois do truck dianteiro. O oposto de tail. 


Trucks: São os eixos do skate a parte de metal onde se encaixa as rodas. 


Base: Parte dos trucks que ficam parafusadas ao shape. Na base está fixado o eixo, que tem movimento e segura as rodas.  


Tail: É a parte de trás do shape. 






Rodas: São feitas geralmente de Poliuretano ou de Uretano. Possuem duas cavidades, uma de cada lado, onde são dispostos os rolamentos (de medida 608). Variam muito quanto ao tamanho. Eram utilizadas rodas mais macias e maiores nas décadas de 70 e 80. Na década de 90, com o "boom" do street skate, elas diminuíram de tamanho, chegando a medir somente 45 mm. E também se tornaram mais duras. Atualmente estão num estágio intermediário, com tamanhos que variam entre 50 e 60 mm, e dureza entre 97 a 103 a.  


Lixa: Fica aderia à superfície do shape, fazendo com que aumente o atrito entre o calçado e o shape do skate, possibilitando assim a execução de manobras e impedindo que o calçado deslize involuntariamente sobre o shape. Na maioria das vezes é feito em aço, por ter como caracteristica sua resistencia. 


Rolamentos: Permitem as rodas girarem livremente e portanto o deslize do skate no solo. São confeccionados de ligas de aço e possuem diversas marcas. Existe uma classificação ABEC, que classifica o rolamento quanto a sua precisão nas dimensões. Uma espécie de certificação de engenharia. Portanto essa certificação ABEC por si própria não classifica os rolamentos quanto os quesitos durabilidade e velocidade. Essas características dependem da qualidade dos componentes, como esferas, gaiolas, lubrificação etc. É perfeitamente possível que um rolamento ABEC 3 de determinada marca corra e dure mais que um ABEC 7 de outra marca por exemplo. Existem também rolamentos sem certificação ABEC porém de marcas conceituadas, como os da "Bones".


Parafusos: Responsáveis por fixar os trucks ao shape. São quatro em cada truck, somando um total de oito parafusos.   


terça-feira, 5 de outubro de 2010

KAREN JONZ

Karen Jonz é o maior nome no skate feminino brasileiro, duas vezes campeã mundial, primeiro lugar nos X games 2008, foi eleita a skatista do ano em 2006 e 2007 e levou o premio jovem brasileiro em 2008. É a única mulher a competir em campeonatos masculinos nacional e mundialmente. Já entrevistou o Linkin Park na Califórnia para o Fantástico, foi entrevistada por Jo Soares, Serginho Groisman, participou de varios programas na Mtv Brasil e internacional
É proprietária da marca Monstra Maçã e integrante da banda Violeta Ping Pong. Além do skate tem colunas em diversos veículos e se dedica a exposicoes de arte.

Base: Regular
Patrocinios: Element, Nixon, Dark Dog, Monstra Maçã, Von Zipper, Osiris, Bones, 187, Protec, Bioritmo.
Quiver: Shape 8 1/8, rodas 58, trucks 146
Títulos: Campea européia 2005, Campea mundial 2006, Bi campea mundial 2008, Campea X games 2008, 2 lugar Xgames 2009.
Escolaridade: Formada em Rádio TV e design Multimidia
Tempo de skate: 10 anos
Hobbies: Desenhos e música
Outras atividades: Integrante da banda Violeta Ping Pong e proprietária da marca Monstra Maçã
Aonde começou a andar de skate: Santo André

Foto para referencia do Paper Toy
 
Karen em um dos seus Hobbies!
 Karen fazendo algumas manobras em Araraquara.
Karen depois que andou nesta pista agradece ao Clube Nautico de Araraquara por ter o privilégio de andar nesta pista histórica.

video 
 Nesse Vídeo Jô Soares entrevista a Skatista Kare Jonz.
video
Segunda Parte de Karen Jonz no Jô Soares! 

Para entender um pouco mais sobre Karen Jonz, estou postando uma estrevista dela para o site Todateen

tt: Como você começou a se interessar pelo skate? Quantos anos tinha e onde praticava?
Karen: “Acho legal desde pequena. Meus ídolos eram o Sérgio Malandro, Gang do Lixo e o Bart Simpson, sempre fui uma criança diferente (risos). Eu morava em Santos e surfava, aí como já morava em Santo André há algum tempo fui tendo cada vez menos oportunidade de ir à praia. Quando tinha uns 16 anos comprei um skate e comecei a andar. Sozinha mesmo, na rua, no quintal de casa. Até que fui conhecendo pessoas e me apaixonando cada vez mais por tudo. As manobras, o clima das sessões, os lugares, as pessoas, as viagens. E nunca mais consegui parar.”
tt: Como foi que você se tornou profissional?
Karen: “Isso é meio indefinido. Comecei a competir lá fora (ela mora entre o Brasil e San Diego, Estados Unidos) e quando voltei pro Brasil quis entrar em um campeonato masculino Pro. O cara da confederação disse que se eu corresse não poderia mais entrar nos champs amadores (masculinos). Eu concordei e nunca mais voltei pro amador. Abri mão de certas coisas pra dar um passo maior. Foi uma escolha difícil, mas não me arrependo. Às vezes a gente tem que se ferrar um pouco por um propósito maior mesmo.”
tt: Você é a única garota a competir em campeonatos masculinos, tanto no Brasil quanto no exterior. Já sentiu preconceito por conta disso? Como os homens costumam tratar você quando está nessas competições?
Karen: “Nunca sofri preconceito dentro de uma competição masculina. Sempre muito respeito. Os meninos me incentivam muito! Não tem um que não me deseja boa sorte e vibra com os acertos. Nos campeonatos, minha torcida é inacreditável! Gritam quase tanto quanto gritam pro Bob (risos). Na China teve um menino que começou a falar mal das skatistas, que não estavam andando nada e eu estava do lado. Aí virei pra ele e falei ‘eeeei, estou ouvindo’! E ele virou pra mim e disse, ‘shut up, you are not a girl and you don’t skate like a girl’ (‘fica quieta, você não é uma garota e não anda de skate como uma’). Acho que foi o maior elogio que já ouvi (risos).”
tt: Já houve algum skatista que não se conformou de perder pra uma mulher?
Karen: “Os profissionais fazem bolão pra ver quem vai ficar depois de mim (risos). Mas levam na brincadeira, skate não é tão competitivo quanto outros esportes (só que acho que no fundo, no fundo, tem uns que morrem de medo do resultado).”
tt: Fala sobre sua vitória no X Games 2008 (este é o maior campeonato mundial de esportes radicais!)
Karen: “Depois que ganhei um campeonato mundial, começou a rolar uma certa cobrança e ficou um pouco chato. Me senti muito na responsabilidade de ganhar outra vez, acabei ficando tão nervosa que travei nos X games 2007. Mas aí em 2008 trabalhei muito a cabeça e com muito esforço consegui ganhar meu primeiro X games. Foi emocionante, todas as fotos do podium eu to com cara de choro, mas segurei ao máximo (risos). X games é tipo Olimpíadas para os esportes radicais, é o campeonato mais difícil! Ganhar foi tipo: ‘UFA! Missão cumprida!’”
tt – Você também tem uma marca de roupas, certo? Como surgiu a ideia de criar a Monstra Maçã? Você cria os produtos da Monstra?
  Karen: “A Monstra surgiu pela necessidade que eu sentia de certos produtos. Eu não conseguia achar exatamente o que eu queria. Minha mãe tem uma loja de lingerie e pijamas e eu sempre achava defeito em tudo, queria mudar detalhes e estampas das coisas... Além disso ando de skate e minha calcinha sempre aparece, então pensei que precisava fazer algo que fosse tudo bem em aparecer, um meio termo entre peças infantis e adultas - que é o que eu sou, uma pessoa Peter Pan. Aí todo mundo reparava no meu dom de criticar as peças e disse que eu devia fazer minhas próprias. Concordei plenamente! Sou eu quem crio e tenho um designer que arruma tudo do jeito certo para mandar para a produção e outras pessoas na equipe também. Não ia conseguir fazer tudo sozinha!”
tt: Você está morando no Brasil ou no exterior atualmente? Quais países já conheceu por conta do skate? E quais mais curtiu?
  Karen: “Passei 2009 quase todo em San Diego e esse ano quero ficar mais no Brasil. Tenho um apartamento lá então vou e volto o tempo todo. Quando estou aqui fico com saudades dos meus amigos de lá e vice versa. É bem difícil conseguir conciliar todas as viagens e a vida pessoal. Já conheci Peru, México, França, Alemanha, República Tcheca, China, Canadá... Nossa, foram muitos lugares! Cada um foi ótimo de um jeito diferente. Só que às vezes acontece de nem dar tempo de passear na cidade pela correria do evento. Normalmente eu estico uns dias depois que acabam as competições pra não desperdiçar a viagem. Mas não são todos os skatistas que fazem isso não! Gostei muito de Amsterdan, na Holanda. A cena de arte é muito forte, é relativamente pequeno... dá pra andar a cidade toda de bike. Muitas festas, gente bonita e interessante e o lugar é lindo, os canais, passeios de barco.”
tt – Você já chegou a se machucar por conta do esporte? Se sim, como foi? Karen: “Sim, algumas vezes, mas nada muito grave. Abri o queixo recentemente e bati a cabeça, apaguei e ganhei uma cicatriz no queixo, mas que está bem fraquinha agora. Torções, pontos e ossos trincados. Mas pequenos roxos e cortinhos diariamente. A parte boa é que desenvolvi uma alta tolerância à dor (risos). O amor ao esporte é maior, tapa de amor não dói.”

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Og de Souza

Nesse post eu vou mostrar para vocés um skatista brasileiro, chamado Og de Souza, que perdeu a mobilidade das pernas.



Og começou em 1988 andar de skate, e anda de skate usando somente suas as mãos por causa de uma doenca chamada poliomielite na infância. Ele anda de skate e corre campeonatos na liga Profissional de Skate.
Esse skatista brasileiro e é um exemplo que nada pode te impedir a andar de skate, a paixã0 pelo skate é maior do que o sofrimento. Ele é skatista, e nao desistiu nunca.

"Sou igual a todo ser humano, mas admito que respiro skate. O skate mudou pra valer a minha vida, me fez ver o mundo com outros olhos", Og de Souza.


video 

Homenagem de uma emissora americana a Og de Souza, um exemplo a ser seguido.
Como Homem e Como Esportista!

domingo, 3 de outubro de 2010

Skater – Fernando Cobra

Cobra no Banks do Clube Pinheiros - Fotos Eduardo Braz
Style - Tatoo do Saci Skater!!!

Mais uma vez a gente se surpreende com a superação, desta vez foi com um skater Fernado Cobra. Fernando nasceu sem a perna direita (do joelho para baixo) . Usando uma prótese mecânica Cobra  sempre foi ligado a esportes, praticou triatlon por vários anos onde foi Campeão por varias vezes  na categoria amputados, no skate ganhou seu primeiro ainda criança( um Torlay), foi local da extinta  pista do QG Skatepark , atualmente,  Fernando Cobra pode ser visto no Banks do Clube Pinheiros e pista do Sumaré, e pelos inúmeros C.E.U s , apesar da prótese restringir alguns movimentos para algumas manobras cobra dá um super Rolê e mostra muita base.a a prótese. Parabéns… que sirva de exemplo a muitos…

Data da Publicação: 14/04/2010
Fonte – fotos Eduardo Braz, e  revista  cemporcentoskt(2009)
Link:http://www.skatecuriosidade.com/curiosidade-skatisticas/skater-fernando-cobra








Origem do SKATE em Vídeo!

video
Ai vai uma forma de como foi a história do skate em video!

HISTÓRIA DO SKATE



HISTÓRIA DO SKATE


Ainda não se sabe exatamente quando apareceu o Skate , mas podemos dizer que foi no princípio dos anos 60 na Califórnia. Era em uma época aonde reinava o surf, praia e a curtição total sobre uma prancha. Mas eles queriam fazer das pranchas um divertimento também nas ruas, numa época de marés baixas e seca na região. Inicialmente, o novo esporte foi chamado de sidewalk surf.
Os skates eram muito primitivos, não possuíam nose nem tail, era apenas uma tabua e quatro rodinhas. O crescimento do esporte se deu de uma maneira tão grande, que muitos dos jovens da época adotaram ao esporte chamado skate, surgiam então os primeiros skatistas da época. Era uma época aonde o free style dominava, os skatistas usavam e abusavam deste tipo de manobra. No ano de 1965 se comercializaram os primeiros skates fabricados industrialmente e começaram as primeiras competições. Esporte então, teve seu auge em meados dos anos 70, aconteceu um fato que chocou a maior parte de todos os skatistas, a revista "Skateboarder"que era uma das mais importantes sobre o assunto, anunciou a sua mudança de planos, agora cobrindo assuntos sobre competições de Biker's. Foi quando se deu a morte do skate, muitas pistas fecharam, e muitos abandonaram o esporte, apenas ficaram os que realmente gostam do carrinho. Ouve então que esses skatistas que perderam suas pistas, suas revistas, e tudo que era a respeito sobre eles, se lançaram a andar na rua, usando tudo que achavam no cotidiano como obstáculo, dai se deu o street skate. Em meados dos anos 70,houve o racionamento de água nos E.U.A, as pessoas esvaziavam suas piscinas, foi ai que os skatistas perceberam que essas piscinas vazias, poderiam ser ótimos obstáculos, foi ai que se deu o skate vertical.
Nos anos 80 o skate volta ao seu auge, com a inovação dos skates, e a utilização das pistas em "U" os half pipes, o skate retorna as suas origens de muitos adeptos, e com o aparecimento de vários nomes do sk8board mundial: Steve caballero, Tony alva, Tom sims, entre outros contribuíram e muito para o progresso do skate. Foi aí que surgiu um garoto que com apenas 12 anos, mandava flips muito altos na rampa, um garoto magro e com um estilo muito técnico e mesmo com pouca idade já deixava todos de queixo caído, seu nome? nada mais do que um simples skatista chamado Tony Hawks.
Outro fator muito importante para o sk8 da época, foi o vídeo da Bones Brigade, onde Steve Caballero teve um papel bastante forte na sua existência. A partir dai, o sk8 nunca mais teve seu declínio, nos anos 90 foi quando o sk8 atingiu o seu auge, com muitos adeptos, produtos, e campeonatos que incentivam bastante os jovens crianças, e até os velhos dos anos 90.